28.6.10

Acabem com a matança

Ao que parece a Comissão Baleeira Internacional decidiu no dia 25 deste mês, decretar uma pausa de um ano nas negociações sobre a moratória comercial à caça das baleias, sendo a falta de consenso entre os países membros a principal razão. A decisão foi tomada em Marrocos. De forma a pelo menos tornar mais remota a hipótese de aprovação desta lei, existe uma de várias campanhas chamada "Whales: 72 Hours Left" do site da organização não governamental sem fins lucrativos Avaaz.org. Basta para tal, assinar uma petição muito rápida que está a ser contabilizada constantemente e conta com a participação de todo o mundo.


A 22 deste mês a petição contava já com um milhão de assinaturas e o próximo objectivo seria atingir o milhão e meio (e não falta assim tanto...). A esperança reside na força dos números mostrados aos delegados, que esperemos que sejam suficientes para os convencer em grande número a votar contra a legalização desta chacina anual. Que não se pense que isto é uma petição que não leva a lado nenhum, porque além de já estar a fazer peso, petições semelhantes a esta estabeleceram a moratória da caça comercial à baleia em 1986 até aos dias de hoje, que infelizmente corre agora o risco de não ser mantida. Antes de esta moratória ser implementada, perderam a vida mais de 38 000 baleias por ano, por enquanto agora são pouco mais de 200, um número ainda assim não satisfatório. Enquanto não for tomada uma decisão definitiva, países como o Japão, a Noruega e Islândia podem continuar a matar baleias, visto que a simples objecção à moratória lhes concede a legalidade do acto. Segundo uma pesquisa, o Japão é acusado de ter subornado eficazmente pequenas nações em troca de ajuda.


A luta mantém-se, mas até ao próximo ano da suposta decisão, muito é o tempo para demonstrar mundialmente o desagrado perante tais atrocidades. A aprovação da pesca baleeira seria sem sombra para dúvidas um triste retrocesso moral, milhares de baleias morreriam todos os anos, inclusivé espécies em vias de extinção. E não há nada tão simples como assinar uma petição para prevenir que tal aconteça:

Se a fonte das fotos for encontrada, será devidamente colocada aqui


Assinem aqui

P.S: Sendo a Avaaz uma organização sem fins lucrativos e não financiada por governos nem corporações, esta conta exclusivamente com doações de pessoas. Caso possam, doem algo.